Emprego no Norte com o maior crescimento registado em 18 anos

Com mais 14 mil empregos, a Região do Norte registou, neste primeiro trimestre de 2017, uma maior aceleração do crescimento do emprego, acontecimento inédito há quase duas décadas.

O primeiro trimestre deste ano na Região do Norte foi assinalado pela maior aceleração do crescimento do emprego desde há 18 anos, com mais 14 mil empregos. Já a taxa de desemprego voltou a diminuir este trimestre, para 10,9%, conforme revela o relatório NORTE Conjuntura, hoje divulgado.

“A população empregada da Região Norte observou, no primeiro trimestre, o mais acentuado crescimento de que há registo (ou seja, desde há pelo menos 18 anos), aumentando 4,2% em termos homólogos, impulsionada sobretudo pelos serviços”, lê-se no relatório trimestral, realizado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).

O documento destaca também as exportações de bens por empresas da Região do Norte, registando uma forte aceleração, cuja variação homóloga passou de 3,9% no trimestre anterior para 24,5% no 1º trimestre de 2017 devido “ao efeito de calendário associado ao facto de em 2016 a Páscoa ter ocorrido em março e em 2017 em abril”.

No mesmo efeito de calendário é referido um abrandamento do crescimento da atividade na hotelaria, mas a taxa de ocupação-cama expurgada da sazonalidade e do efeito Páscoa móvel alcançou neste primeiro trimestre um novo máximo na Região do Norte.

Foi também observada, no crédito ao consumo e a importação de bens de consumo (13,5%), uma aceleração de crescimento no primeiro trimestre deste ano. Já os levantamentos e compras com cartão aumentaram a um ritmo menos acentuado (1,9%).

“A importação de bens de capital (excluíndo material de transporte) por parte de empresas da Região do Norte registou uma aceleração de crescimento no 1º trimestre de 2017, o que deverá traduzir uma tendência positiva do investimento empresarial. Também o licenciamento de obras assistiu a um reforço do seu ritmo de crescimento”, indica o documento.

Por fim, o relatório trimestral adianta que o aumento da taxa de inflação na Região Norte foi provocado principalmente pela evolução dos preços da energia, neste primeiro trimestre, enquanto que os créditos às empresas e à habitação continuaram a diminuir.

Económico

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*